Abaixo o IPCC

Já havíamos referido há dois meses a bomba que havia constituído a divulgação pelos Indianos, de um estudo que dava como erradas as conclusões existentes relativas ao desaparecimento dos glaciares dos Himalais. Rajendra Pachauri, o tretas mor do IPCC, não gostou nada da ideia, e insurgiu-se publicamente na altura.

Agora, veio a lume que o tretas tem telhados de vidro! Surgiu ontem no Times, que andamos a ser enganados sobre o futuro dos glaciares nos Himalaias! A ideia de que a maioria dos glaciares dos Himalaias estaria em vias de desaparecer até 2035, segundo a religião do IPCC, não têm factos que a suportem!

Tudo começou com uma história na New Scientist, publicada 8 anos antes do relatório do IPCC de 2007. Essa história foi baseada numa pequena entrevista telefónica a Syed Hasnain, da Universidade Jawaharlal Nehru de Delhi. Entretanto, Hasnain admitiu que a afirmação era mera especulação, não suportada em qualquer investigação formal…

Quem descobriu a marosca, não foi nenhum cientista num processo formal de peer-review. Foi antes Fred Pearce, que entrevistou Hasnain em 1999, e que na ausência de dados ou papers que suportassem as afirmações iniciais, botou a boca no trombone

Mas como é que isto chega à religião do IPCC é ainda mais engraçado! Em 2005, a WWF citou o relatório da New Scientist num relatório seu: “An Overview of Glaciers, Glacier Retreat, and Subsequent Impacts in Nepal, India and China“. Esse relatório da WWF foi depois assumido por Murari Lal, responsável pelo capítulo dos glaciares no relatório do IPCC, e que até assume que não percebe quase nada de glaciares! Neste relatório, tais especulações de Hasnain foram promovidas a muito prováveis, o que segundo o IPCC é algo com uma probabilidade de ocorrência superior a 90%!!!